02/03/2021
Doença do Silicone: porque o explante mamário é a melhor solução!
A prótese de silicone é um material sintético e com o tempo pode sofrer reações no organismo. Assim, é recomendado a retirada ou troca dos implantes em média a cada 10 anos para evitar vazamentos, corrigir o risco de contratura capsular ou problemas causados pela doença do silicone ou em casos mais severos, pela Síndrome de ASIA.

No caso das mulheres que sofrem com a Doença do Silicone e com a Síndrome de ASIA , é necessário realizar o explante mamário. Mas você sabe o que é a Síndrome de ASIA e a Doença do Silicone e como identificá-las? Confira a seguir. 


Doença do Silicone

A Doença do Silicone é mais comum e afeta uma quantidade maior de pacientes que realizam a cirurgia de implante mamário. Apesar de não ser um termo técnico, ela está ligada à BII ( Breast Implant Illness) - doença do implante mamário. Que representam uma série de sintomas relacionados à rejeição da prótese pelo organismo. 

Os sintomas mais comuns ligados à doença do Silicone são dores musculares - principalmente na região peitoral- fadiga ou falta de ar e em casos mais graves até perda de memória. 

A doença do Silicone está ligada também à contratura capsular grave, na qual, o organismo do paciente cria uma película de proteção em volta da cápsula, para isolá-la do restante do organismo e contrai na tentativa de expelir o material. A contratura pode provocar fortes dores no peito e endurecimento das mamas. 

Além disso, outras adversidades podem estar ligadas à rejeição da prótese como Linfoma Anaplásico de Células Grandes (ALCL), que está relacionado à texturização da prótese de mama, ela possui uma película áspera, nesses casos também é indicada a retirada da prótese.  


Síndrome ASIA

 Já a Síndrome ASIA é diferente da Doença do Silicone e é importante ter atenção para diagnosticá-la corretamente. Síndrome ASIA uma abreviação em inglês que significa Autoimmune Syndrome Induced by Adjuvants - uma doença autoimune induzida por adjuvantes, que podem incluir o silicone das próteses mamárias. Porém, os testes laboratoriais da doença em relação à reação do organismo com a prótese de silicone, ainda é inconclusivo. 

Exames laboratoriais e de imagem como ultrassonografia, ainda não são capazes de diagnosticar o silicone como causa da Síndrome no organismo. O que pode acontecer é uma reação de contratura capsular ou outras reações à toxicidade do silicone  que desenvolva a Síndrome Autoimune e assim, afete a prótese implantada. 

Podem ser identificados alguns sintomas para facilitar o diagnóstico da Síndrome e da necessidade de remoção da prótese. São eles: 


Sintomas maiores

  • Febre, boca seca. 
  • Distúrbios cognitivos, perda de memória. 
  • Dor no peito ou falta de ar. 
  • Fadiga crônica, insônia. 
  • Artralgia ou artrite. 
  • Mialgia ou fraqueza muscular.
 

Sintomas detalhados

  • Presença de anticorpos específicos contra o adjuvante (silicone);
  • Presença de antígeno leucocitário humano (HLA) específico; 
  • Aparecimento de outras doenças autoimunes. 

 

Qual o tratamento?

A melhor solução para regredir os sintomas em todos os casos de adversidades ao implante, é a retirada da prótese de mama e sua cápsula (explante mamário em bloco). Em casos específicos como o desenvolvimento da Síndrome ASIA também são receitados medicamentos imunossupressores como, corticóides. 

A recuperação completa pode ocorrer entre 1 a 6 meses, junto com o desaparecimento dos sintomas. A melhora dos sintomas ocorre em 75% dos casos, porém ainda é possível que em alguns pacientes, os sintomas prossigam mesmo após o procedimento de explante. 

É importante lembrar que, a cirurgia de retirada de prótese de silicone não significa que resultará em deformidade da mama, existem outros procedimentos para corrigir a flacidez e reconstruir a região. 

Após a remoção da prótese, pode-se realizar um procedimento de mastopexia (levantamento e reconstrução das mamas) ou lipoenxertia - enxerto de gordura retirado de outra região do corpo e reimplantação nas mamas para corrigir o volume. Neste último caso, os riscos de rejeição são bem menores já que a gordura implantada é originada do próprio organismo. 

Teve complicações e gostaria de retirar o seu implante mamário? Agende sua consulta, fale com o Dr. Rogerio Morale. 
 
LEIA TAMBÉM

OUTROS POSTS

20/04/2021

Retirada de prótese está em alta: Confira os motivos!

O procedimento de mamoplastia de aumento (colocação de prótese) está entre os mais procurados no Brasil, porém, segundo Maira Caleffi, chefe do serviço de Mastologia do Hospital Moinhos de Vento em Porto Alegre, nas primeiras operações, não havia grande conhecimento sobre o efeito do implante no organismo a longo prazo. E mesmo que a procura por implantes continue alta no país, atualmente têm crescido também os casos para retirada de prótese - explante mamário.
LEIA MAIS
02/03/2021

É preciso remover a prótese de silicone? Confira!

Os casos de rompimento e complicações com próteses de silicone implantadas a mais de 10 anos foram crescentes nos últimos anos e levam a seguinte pergunta: É preciso trocar o implante de silicone ou apenas se houver alguma complicação?
LEIA MAIS
02/03/2021

Por que a procura por retirada de silicone aumentou?

A retirada de silicone conhecida como Explante Mamário, trata-se da remoção completa ou parcial das Próteses de Silicone. Apesar do número de cirurgias de implante de silicone realizadas ser de 18% ao ano, em média, segundo a Associação Brasileira de Cirurgia Plástica, o número de mulheres que procuram pelo Explante Mamário também cresceu.
LEIA MAIS